Breve Histórico da Metodologia da Gestão de Projetos

Fonte: Portal da Educação 

 

Com muita probabilidade, os mais antigos projetos deviam estar voltados para as necessidades mais básicas, como o preparo e execução de uma campanha de caçada, a instalação de uma agricultura e criação de dispositivos e sistemas de segurança ou de defesa. Todos estes empreendimentos, ainda que primitivos, eram premidos por prazos para alcançar objetivos pré-estabelecidos e tinham algum tipo de organização e de administração.

A construção das pirâmides do Egito, a montagem da Estátua da Liberdade, a Torre Eiffel, a construção da bomba atômica e a expedição do homem à Lua são exemplos históricos de gerenciamento de grandes projetos.

Assim, o gerenciamento de projetos enquanto conhecimento não é algo novo, pois, temos conhecimentos de projetos executados desde 2500 a.C. aproximadamente, como as pirâmides do Egito (aproximadamente 2500 anos a.C.) em que o faraó exercia o papel de gerente de projetos,  a Muralha da China (~1100 a 300 a.C), o Coliseu de Roma (~700 a.C), e também as Catedrais da Europa (~1100 d.C.). Foi por volta de 1950 que o Gerenciamento de Projetos inicia sua consolidação na indústria da construção americana, com o Projeto Manhattan, o submarino nuclear Polaris e o Eurotúnel, que liga França e Inglaterra.

Avançando em nossa linha do tempo, podemos encontrar também outras obras monumentais resultantes de um projeto, como as que marcaram o século XIX. 

Frederick Winslow Taylor (1856-1915), o assim chamado pai da administração científica, demonstrou que o trabalho pode ser analisado e aperfeiçoado a partir do foco em pequenas partes para o todo. 

Mas seria mesmo por volta da Segunda Guerra Mundial que o gerenciamento de projetos começaria a se tornar como hoje o conhecemos, ou seja, como uma disciplina. A construção da bomba atômica foi resultado do Projeto Manhattan, que envolveu mais de 100 mil pessoas – um projeto de pesquisa e desenvolvimento distribuído em treze locais diferentes e que em três anos apenas traria ao mundo um resultado que deixaria assustados até mesmo os envolvidos. (VALERIANO, 2001)

Henry Laurence Gantt (1861-1919), considerado o pai do gerenciamento de projetos, estudou de forma detalhada a ordem das operações no trabalho. Seus gráficos com barras de tarefas e marcos são uma representação da sequência e duração de todas as tarefas envolvidas em um projeto. Estes gráficos (também chamados de gráfico de Gantt, gráfico de barras, cronograma) estão comumente presentes nos softwares de gerenciamento de projetos. Ambos legaram enormes contribuições e foram mesmo precursores de ferramentas e técnicas, como a WBS, PERT e CPM. 

Já em 1969, durante a Guerra Fria, consequência da Segunda Guerra Mundial, os EUA disputando a Corrida Espacial com a então URSS colocam o primeiro homem no solo da lua, resultado do Projeto Apollo.

Mesmo que a gestão de projetos não seja uma novidade em nossos dias atuais, ainda se pode notar equipes de trabalho com grandes dificuldades em atuar de modo diferente quando se requer uma gestão que não é da operação do dia-a-dia…não que esta seja fácil, de modo algum; mas na gestão de projetos torna-se necessário uma maior dose de planejamento e, sobretudo, o balanceamento da competição entre os objetivos do projeto e os incidentes da rotina diária, especialmente quando os gestores são responsáveis por ambos. O que ocorre com certa frequência.

Não por outro motivo, a Addunt vem suportando diversas empresas de grande porte na adoção de boas práticas, ferramentas e metodologias consagradas de PMO, além de alocar recursos preparados para reforçar o empenho de escritórios de projeto previamente estruturados, quando se encontram sub dimensionados para o volume de demandas vigente.

Quer saber mais sobre essas experiências? Entre em contato conosco para compartilharmos cases de sucesso e lhe ajudar neste grande desafio….”



Deixe uma resposta

Este website usa cookies e solicita seus dados pessoais para aprimorar sua experiência de navegação.